10 ANOS DO VERMELHO E NEGRO E A RETOMADA DE NOSSA LINHA POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA, LIBERTÁRIA E ANTI-COLONIAL

fotorb3

Stencil em homenagem à Bakunin no centro de Feira de Santana

Em 2005 iniciamos a tarefa de construção de um organização anarquista na Bahia, começamos como um espaço de formação, um pequeno grupo de estudos em Feira de Santana, onde confluíram militantes envolvidos em lutas estudantis, movimento negro, atividades comunitárias e contracultura. Tomamos parte na construção nacional do Fórum do Anarquismo Organizado (FAO) e demos nome ao nosso grupo, Vermelho e Negro fazia referência as cores tradicionais do anarquismo e à Exu, a rebeldia negra contra a escravidão, a fúria e a revolta anti-colonial. Entre a fundação do grupo de estudos, o salto organizativo para um grupo anarquista organizado em 2006 e o início da construção de núcleos em outras cidades para a formalização de uma organização estadual, até perdermos a regularidade e decidir parar as atividades do Vermelho e Negro em 2011, nossa militância esteve envolvida em lutas combativas da juventude e dos estudantes pobres, das mulheres trabalhadoras, nas periferias, pelos direitos LGBT e contra a homofobia, por transporte público, pelo direito à cidade, organização por local de trabalho, lutas do povo negro e contra o racismo, em ocupações urbanas e rurais, educação popular, lutas dos povos originais e em dezenas de atividades de solidariedade e apoio mútuo. Uma citação de Bakunin em um dos documentos do Vermelho e Negro sintetiza bem essa primeira fase de nossa organização, o anarquista russo e uma de nossas principais referências, dizia em Tática e Disciplina do Partido Revolucionário, que “nós, bem ou mal, conseguimos formar um pequeno partido; pequeno em relação ao número de pessoas que aderiu a ele com conhecimento de causa, mas imenso com respeito a seus aderentes instintivos, a estas massas populares cujas necessidades representamos melhor que qualquer outro partido.”

A experiência do Vermelho e Negro também teve importância fundamental em romper o bloqueio eurocêntrico no anarquismo brasileiro, um papel pioneiro no país em fundir a ideologia libertária e o pensamento anti-colonial, reconhecendo nossos valores ancestrais e afirmando o protagonismo do povo negro no processo de transformação social revolucionária, reivindicando o anarquismo como um conjunto de métodos forjados nas lutas de libertação dos povos e sonhos de emancipação.

Nesses 10 anos de nossa fundação, e após o período sem funcionamento de nossa instância orgânica, retomamos nossa linha política enquanto núcleo fundador do Vermelho e Negro, reafirmamos nossa estratégia e seguimos aprimorando nossos métodos, não reconhecemos a necessidade de uma organização anarquista de caráter público como anteriormente, enxergamos a necessidade de impulsionar uma corrente libertária e anti-colonial; e propomos chamar quilombismo, como sinônimo do anarquismo militante que defendemos, uma concepção revolucionária e libertária que rompe ao mesmo tempo com a lógica estatista e pacifista do “quilombismo reformista” e com a hegemonia branca e eurocêntrica no anarquismo; e se funde com elementos do pan-africanismo e do panterismo.

Seguimos nossa tarefa, fazer ruir a civilização capitalista, derrotar a supremacia branca, o Estado e o Capital, construir nas lutas de nosso povo caminhos de libertação.

Anúncios

0 Responses to “10 ANOS DO VERMELHO E NEGRO E A RETOMADA DE NOSSA LINHA POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA, LIBERTÁRIA E ANTI-COLONIAL”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




contato

vermelhoenegro@riseup.net

Arquivos

Estatíscas

  • 14,504 visitas!

%d blogueiros gostam disto: